Estilo de Vida | ChatwithPrimeira #1

By | 15:58 9 comments

DePapocomaPrimeira #1

NEW IN: [DePapocomaPrimeira]

Oiiiii malta!
Bora falar de coisas (um pouco) sérias??!!

Então hoje quis trazer-vos um pouco do que menos gostei na minha adolescência (sim, já lá vão anos, mas acho que vale a pena partilhar) - a MAGREZA.

Até aos meus 20 anos, sempre fui muito magra, não... não passava fome (apesar de nunca ter tido o hábito de tomar o pequeno almoço, sobretudo, quando a minha mãe não estava em casa); se é genético, acredito que sim, pois na minha família (direta) não temos historial de pessoas mais rechonchudas. Mas creio também que o facto de ter sido sempre uma jovem dinâmica, sempre fiz desporto ou dança, sempre comi muito devagar, fazendo com o meu metabolismo fosse lento e isso causa um atraso no corpo para receber os nutrientes que ele precisa; logo, tudo isto acabaria por ajudar na perda de gordura.



Imagem da internet

Sendo essa uma das fases que mais pesa na nossa vida (pois é quando a nossa personalidade está a ser construída, é quando nos descobrimos como seres, como pessoas...), não tinha maturidade suficiente para aceitar-me como era. Pior que o meio em que estava inserida, desde sempre conheceram-me magrinha, mas as pessoas por serem malvadas ou infelizes com elas mesmas, faziam questão de questionar sempre essa minha magreza [acreditem de tanto ouvir, és tão magra... porque és tão magra... é só pele e osso... blá blá blá] acabei por rejeitar o meu corpo por muitos anos.

Depois dos 20, com  muitas DIETAS para ENGORDA (sim malta, existe dieta para engordar e ganhar peso e quem é magro saberá o quanto é difícil passar por esse processo), depois de muitas idas ao médico, muitos exames para despistar qualquer problema de saúde, depois de muitos anos de não aceitação do meu corpo, lá encontrei um remédio que resultou da noite para o dia.
Esse remédio tinha de ser tomado como qualquer outro, com os cuidados devidos. Em poucas dosagens "ele mostrou-me" logo de caras resultados. Primeiro, fazia-me ter sono que só visto, mais quando despertava a fome era GIGANTESCA... e foi nesse ritmo que engodei para a minha felicidade e para a felicidade do povo.



Mas na reta final dos 20 e com muita maturidade em cima, vejo que ao conseguir alcançar o peso que achava ser o ideal, o facto de conseguir ter triplicado o tamanho de roupa que usava e ter algumas curvas, com esse "sucesso" vieram outros tantos "males/ pesadelos" que nós mulherada detestamos, como a celulite, as estrias, aquela barriguinha indesejada... por isso, agora quase nos 30, só penso em TER SAÚDE, SER FELIZ e voltar a ter aquela barriga chapada :P

E vocês, por acaso passaram por algo assim?
Espero que tenham gostado deste resumo do meu testemunho,

XoXo Helena Primeira.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

9 comentários:

  1. Crescemos em um mundo cheio de regras e padrões impostos. Antes me preocupava muito com o corpo perfeito, hoje em dia, quero apenas viver com saúde e curti a vida.
    Beijos boa semana
    www.bellapagina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu sofri muito tentando engordar também! Pessoal vivia me perguntando se estava doente, se não comia entre diversas outras perguntas inconvenientes e que me deixavam triste. Chegou um momento entre meus 18 anos que engordei naturalmente hahah Não sei se por conta dos hormônios do anticoncepcional ou porque tinha que engordar mesmo, já que ninguém da minha família tem genética de ser magrinha, é bem o oposto inclusive. Enfim, hoje em dia continuo magra, porém no meu peso ideal haha Só a barriguinha que engordou que me incomoda, mas...

    Iasmin Guimarães | E agora?

    ResponderExcluir
  3. ter saúde é a prioridade né? também estou em busca da barriga chapada haha

    beijo
    Adoletas

    ResponderExcluir
  4. Ser saudável é o mais importante né. Sou magrinha também e é difícil de engordar e todo mundo acha que como pouco, essa é a parte chata né. Acho que esses padrões não deveriam existir, cada um é bonito do jeitinho que Deus nos fez. E depois tem tantas fazes nas nossas vidas e sempre vamos mudando.

    Instagram @blogbrunavirginia
    Blog | Facebook | Twitter | Canal Youtube 
    Beeijos (:

    ResponderExcluir
  5. Não ligo para "barriga chapada" não, acho que o mais importante, como disse, é ter saúde. O resto é consequência.

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  6. Eu também fui muito magra e sinto que não aproveitei minha vida nesse período pois tinha vergonha disso. A maturidade realmente muda nosso pensamento. Tenha um ótimo dia, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    www.paisagemdejanela.com

    ResponderExcluir
  7. Oie!

    Eu também sempre fui muito magrinha. E acredito que também seja uma questão genética, porque eu me alimentava normalmente, comia até errado demais, e mesmo assim continuava magrelinha... até chegava a fazer dietas de engorda também, porque eu me sentia mal por ser tão magra, não ter curvas e tal na adolescência...

    Bjuus
    Início de Conversa

    ResponderExcluir
  8. bello prendersi cura di se stessi ma senza avere fissazioni

    ResponderExcluir
  9. tbm ja desencanei de me importar tanto com o corpo, saude e felicidade que sao fundamentais!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir